DestaqueGeralNotíciasPoliticaRegional

Greve de trabalhadores da Famesp é adiada até nova Assembleia

O SindSaúde convocou a categoria para votação na próxima segunda-feira (2)

O Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem e Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Bauru e Região (SindSaúde Bauru), convocou os funcionários da Famesp, representados por eles, para uma nova Assembleia, marcada para a próxima segunda-feira (2), em dois horários e locais diferentes, às 12h30 no Hospital de Base e às 18h30 no Hospital Estadual.

“A Famesp cumpriu com o combinado, eles disseram que iam mandar uma proposta para que apresentássemos para a categoria, e nós vamos cumprir a nossa parte no acordo, vamos reunir os trabalhadores do Hospital de Base, Hospital Estadual, AME e Maternidade Santa Isabel para votar se aceitam ou não a oferta da Famesp”, disse Noel Moreira, Presidente do SindSaúde.

No último 22, os trabalhadores haviam decidido em Assembleia por iniciar uma nova greve, já que a Famesp não havia se quer feito uma proposta para o Sindicato alegando que as negociações deveriam ser realizadas com o Sindhosfil, Sindicado das Santas Casas de Misericórdia e Hospitais Filantrópicos do Estado de São Paulo. “Até o meio da tarde de hoje a Famesp não havia feito nenhuma proposta para apresentarmos para a categoria. Greve não é bom para o trabalhador, não é bom para os hospitais e principalmente para a população. Queremos apenas o que nos é de direito, não estamos brigando apenas pelo reajuste, estamos brigando por condições de trabalho”, contou Moreira.

DISSIDIO DE 2017

Mesmo tendo ganhado em todas as instancias o SindSaúde ainda não pode dar uma boa notícia para os trabalhadores da Famesp referente a greve de 55 dias, que ocorreu em 2017. O sindicato ganhou a ação no Tribunal Regional do Trabalho, em Campinas, mas a Famesp recorreu mais uma vez e agora a ação está em Brasília esperando para ser votada. “Muitas pessoas acham que finalizamos a greve por que a Famesp aceitou nos pagar o reajuste, mas não foi isso! Até hoje não recebemos, mesmo após ganharmos esse direito na justiça. Paramos a greve por que a população estava sendo prejudicada, foi uma decisão conjunta da diretoria com a categoria”, explicou o Presidente do SindSaúde.

Tags
Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar