CIDADESDestaqueEconomiaGeralNotíciasPoliticaRegionalSaúde

CBH-TJ se reúne em Pederneiras e libera cerca de R$ 16,2 milhões para municípios da região

18 cidades e 2 instituições do Estado foram contempladas. Pederneiras, por exemplo, conquistou a fatia de R$ 1,1 milhão

A frente da presidência do Comitê da Bacia Hidrográfica – Tietê Jacaré desde o ano passado, o prefeito de Pederneiras, Vicente Minguili, realizou a 68ª reunião plenária do CBH-TJ ontem, dia 20, no Teatro Municipal Flávio Razuk e deu a boa notícia aos prefeitos e demais representantes presentes: a liberação de aproximadamente R$ 16,2 milhões para projetos de 18 cidades da região, além de duas instituições do Estado de São Paulo.

O valor é referente ao quadro de distribuição de recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos – Fehidro (aproximadamente R$ 1,7 milhão) e da Cobrança pelo Uso da Água (aproximadamente R$ 14,5 milhões) e pode ser utilizado, segundo o presidente do CBH-TJ, Vicente Minguili, “em programas que visam dar melhores condições de vida e saúde para a população, considerando a necessidade de preservar, recuperar e melhorar os recursos hídricos da Bacia Hidrográfica do Tietê Jacaré”.

Entre eles, programas de restauração florestal e matas ciliares, implantação e melhorias de redes de coleta e de estações de tratamento de esgotamento sanitário, gerenciamento de resíduos sólidos, drenagem de águas públicas, prevenção e controle de processos erosivos, entre outros.

Dezoito cidades da região foram contempladas para receber os recursos disponíveis: Pederneiras, Bauru, Dois Córregos, Barra Bonita, Brotas, Lençóis Paulista, São Carlos, Araraquara, Ibitinga, Bariri, Iacanga, Macatuba, Borebi, Gavião Peixoto, Jaú, Igaraçu do Tietê, Nova Europa, Boraceia, além de duas instituições do Estado de São Paulo (Unesp e DAEE).

Fatia – A distribuição dos recursos ocorreu de acordo com os projetos apresentados. Para Pederneiras, por exemplo, a fatia disponibilizada foi de R$ 1,1 milhão, sendo contemplados dois projetos: um para construção de bacia de contenção no Córrego Monjolo para controle de inundação na área urbana, e outro para recuperação de talude e dissipador hidráulico.

Segundo o CBH-TJ, o próximo passo agora é a avaliação dos projetos pelo agente técnico. Dentro do cronograma do Comitê, em março de 2019 está prevista a assinatura do contrato entre os contemplados com os recursos e o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios