CIDADESDestaqueEconomiaGeralLençóis PaulistaNotíciasPolitica

Novo empreendimento em Lençóis vai aumentar a oferta de empregos

Prefeitos se unem para melhorar qualificação visando 3.500 postos de trabalho que deverão ser gerados quando iniciar construção de nova planta industrial

O maior empreendimento privado do Estado, o da ampliação de uma planta de indústria de celulose em Lençóis Paulista, criou uma expectativa grande de geração de empregos nos próximos dois anos na região. O “epicentro” dos investimentos concentrado em Lençóis Paulista e Macatuba vai possibilitar atrair empregos para Agudos, Areiópolis Borebi, Pederneiras, São Manuel, Barra Bonita e Igaraçu do Tietê.

Com a economia refreada nos últimos anos, a aquisição da Lwarcell Celulose pelo grupo indonésio Royal Golden Eagle (RGE) em 2018 abriu as perspectivas de contratações de uma demanda de 3,5 mil trabalhadores, podendo chegar ao pico de 7 mil a longo prazo da obra.

A construção da nova fábrica está prevista para começar no segundo semestre deste ano, mas desde janeiro já mobiliza as prefeituras da região.

Liderado pelo prefeito de Lençóis Paulista, Anderson Prado (PSB), os colegas de Executivo dele têm se reunido regularmente para iniciar um processo de qualificação da mão de obra.  Com objetivo que os recursos sejam investidos na região, por sugestão de Prado, o empreendedor não vai construir um alojamento no município, o que abriria a possibilidade de contratação de operários de fora da microrregião. A ideia é a empresa concentrar as contratações em Lençóis e no entorno, de forma que o trabalhador possa voltar para casa no fim do dia. A proposta foi acatada pela RGE no empreendimento da Brasell Limited, que vai investir na fábrica para ampliar sua capacidade global de celulose. A nova empresa já tem uma unidade em Camaçari, na Bahia. A planta será construída em área que fica em Lençóis Paulista, mas a captação da água do rio Tietê será feita por dutos que vão passar por áreas de Macatuba. As duas cidades entraram em entendimento para que dividam futuramente, de forma proporcional de acordo com o número de habitantes, os eventuais tributos que incidirão para os cofres municipais.

Samantha Ciuffa
Prefeito de Agudos, Altair Francisco Silva, prepara o treinamento de pessoal em cursos de capacitação e tem conversado com Lençóis

Conforme dados fornecidos pela empresa, a ampliação da Bracell/Lwarcel vai ampliar a produção de 250 mil para 1,5 milhão de toneladas/ano de celulose. Essa nova fábrica poderá produzir tanto celulose de mercado como celulose volúvel, usada na produção de viscose. A fase de montagem da fábrica está prevista para setembro. O início da operação é agosto de 2021. A demanda por mão de obra vai aumentar no decorrer do empreendimento.

Prefeitos fazem ‘pool’ para contratações

O prefeito de Lençóis Paulista, Anderson Prado, vem desde o ano passado conversando com seus colegas de Executivo da região para definir uma estratégia que possa beneficiar a todos nas contratações de mão de obra com a construção da nova planta industrial da RGE/Lwarcell com a instalação de uma indústria de celulose.

Em período que todo o país enfrenta desemprego, repentinamente cidades de porte menor como Macatuba, Borebi, Igaraçu do Tietê, Areiópolis, São Manuel, Barra Bonita, Agudos, Pederneiras e Lençóis Paulista onde será instalado o parque fabril tem a possibilidade de geração de novos empregos num período de pelo menos dois anos de uma massa de 3.500 pessoas, podendo chegar a 7 mil, quando entrar em operação a unidade.

Havia, no entanto, uma preocupação dessas contratações se “diluírem” caso, por exemplo, a empresa instalasse em Lençóis um acampamento para os trabalhadores. Poderia gerar contratações de mão de obra de fora da microrregião. O problema seria mais pessoas usando a estrutura da saúde e do poder público de Lençóis.

Prado afirma que sugeriu e a empresa concordou que se faça as contratações na região, oferecendo a logística de transporte para que o trabalhador venha a Lençóis e retorne à sua cidade. Assim gera emprego no entorno da região.

O prefeito de Lençóis diz que é um investimento muito grande, projeto de mais de R$ 6 bilhões de investimentos nos próximos anos. “Tem um reflexo grande na economia e quase que imediato na região. Vamos ter nos próximos três anos a construção da fábrica e isso vai ter impacto na questão da mão de obra”, relata.

A estratégia da empresa é buscar mão de obra na região, principalmente na construção civil. Isso, no entanto, vai precisar de melhorar a qualificação desses trabalhadores. Em reunião no mês passado, em Lençóis, com sete representantes do Poder Executivo houve entendimento que todos eles iniciem cursos de qualificação nestes meses.

O ápice das contratações está programado para setembro deste ano, mas nesta última semana para preenchimento de 120 vagas já houve filas quilométricas em Lençóis. “É uma oportunidade em um momento que precisamos gerar empregos nos municípios e vamos aproveitar essa onda que esse investimento vai permitir na geração de empregos a nossa região”, cita o prefeito de São Manuel, Ricardo Salaro.

A Diretoria de Desenvolvimento de Comércio de São Manuel já está preparando uma série de ações para qualificação profissional de mão de obra, principalmente na construção civil, em setores como pedreiro, auxiliar de pedreiro e carpinteiro. “Vamos trazer treinamento nessa linha. Assim contribui para a formação das pessoas que vão trabalhar e terão oportunidade de serem contratadas nos próximos três anos, mas também a gente deixa um legado de mão de obra preparada para a região”, explica Salaro.

O prefeito de Agudos, Altair Francisco Silva, diz que a quantidade de contratações para as obras da fábrica é alta e somente Lençóis Paulista e Macatuba não teriam condições de suprimir a mão de obra. “É um ganha ganha, por isso os prefeitos se reuniram para debater como atender essa demanda. Aqui vamos oferecer cursos de capacitação. A demanda para contratar auxiliar geral é de 980 pessoas ao longo do processo de construção que deve ir até 2022. Mesmo sendo mão de obra menos qualificada, a empresa quer esse pessoal treinado para aumentar a segurança do trabalho e evitar acidentes”, observou Silva. O fato de Agudos estar bem próximo a Lençóis é um bônus. Silva acredita que há capacidade de ofertar de 30 a 40 pessoas. “O município sede e Macatuba devem preencher mais vagas, porque fica menos oneroso para a empresa que vai contratar, principalmente a questão de transporte. Na logística Agudos e Borebi têm potencial para contratação pela proximidade”.

O prefeito agudense diz que também deve aumentar o número de arrendamento e aquisição de áreas para plantio. O município tem capacidade para ofertar isso. “Já estamos fazendo um trabalho de melhoria dessas estradas rurais. É um negócio para a nossa cidade e a região inteira”, finalizou o prefeito de Agudos. Para o vice e secretário de Desenvolvimento Econômico de Pederneiras, Marcio Urrea, a expectativa é positiva. “Estamos otimistas com a expansão da Lwarcel/RGE pois muitos pederneirenses terão novas oportunidades de emprego durante a expansão. E, com os novos cursos que a Prefeitura de Pederneiras irá oferecer, muitas pessoas poderão se profissionalizar com qualidade” disse Marcio.

Prado quer que empregos fiquem nas cidades da região

Aurélio Alonso
O prefeito de Lençóis Paulista, Anderson Prado, lidera movimento para que contratações
de empregados seja da região e vem realizando reuniões com prefeitos de sete cidades

O prefeito de Lençóis Paulista, Anderson Prado (PSB), explica que decidiu dividir com o município de Macatuba a liderança para que as duas cidades tomem medidas que gerem emprego e definam até mesmo como será a partilha de futuros impostos a serem captados com a vinda do novo empreendimento.

Embora parte da planta industrial fique em território de Lençóis, a captação de água será feita do Rio Tietê para a unidade fabril. Diante disso, serão construídos dutos que vão passar por áreas de Macatuba. “Em comum acordo com a RGE não será instalado alojamentos para os trabalhadores com havia o entendimento inicial do projeto. Eu refutei essa ideia, é melhor fomentar a contratação de mão de obra das cidades do nosso entorno e do aluguel de imóveis em Lençóis Paulista e Macatuba. O alojamento possibilitaria que pudessem ocorrer contratações de fora da região. A empresa entendeu a demanda”, explica o prefeito.

Esse “pool” de cidades engajadas vem sendo composto por Lençóis, Macatuba, Pederneiras Barra Bonita, Igaraçu do Tietê, Areiópolis, São Manuel, Agudos e Borebi. “É dessas cidades que virão os pedreiros, o auxiliar geral e demais empregos que essas cidades poderão suprir. Então, os moradores desse entorno terão ônibus para vir e voltar para a casa deles. Evidentemente, o aparato da Saúde do Poder Público estará à disposição durante o dia, mas o trabalhador volta à noite para não deixar muito volumoso os serviços aqui em Lençóis”.

Conforme as primeiras reuniões, Prado explica que para as pessoas serem contratadas pela RGE está sendo instalado uma central de vaga em Lençóis. Ela só vai receber currículos que tiverem os “certificados” das prefeituras da região que os futuros candidatos a emprego devem ter passado pelo processo de qualificação. “Será feita qualificação geral desses trabalhadores por órgãos especializados, passando noções de segurança do trabalho, de ética profissional, da melhor forma possível, visando que o emprego fica aqui na cidade e região”, explica Prado.

Sobre o impacto financeiro em Lençóis, o prefeito diz que inicialmente será a geração de empregos, porque a incidência de tributos só deve ocorrer a médio prazo. A primeira fase é da instalação da planta industrial, que está planejada para os próximos três anos. “A tributação começa a posterior quando começar a produção. Não há incremento agora na economia, a não ser a movimentação que ocorre na órbita dela,  gerando emprego. Quanto mais gente trabalhando, os nossos postos de saúde estarão vazios”, cita.

Prado ressalta que indiretamente a economia vai ser impactada, porque há outros cargos a serem preenchidos de profissionais altamente qualificados, principalmente na área de engenharia.

Tributação dependerá de acordo entre Lençóis Pta. e Macatuba

Prefeitura de Macatuba
O prefeito de Macatuba, Marcos Olivatto, ‘negocia’ com Lençóis como será a partilha da tributação e dependerá de conversa com o governo

Animado com a instalação da nova unidade fabril em Lençóis Paulista, o prefeito de Macatuba, Marcos Olivatto, tem entrado em entendimento com o seu colega de Executivo da cidade vizinha, Anderson Prado, para aproveitar os impactos financeiros do investimento em seu município na geração de empregos.

A RGE já adquiriu área no município de Macatuba, onde será construída uma estação de bombeamento de água a ser captada do Rio Tietê para ser utilizada na indústria e depois devolvido o líquido tratado de volta ao manancial.

Fora as eventuais contratações, no início da obra deve gerar receita de Imposto Sobre Serviços (ISS). Só que a alíquota em Macatuba é mais alta do que na cidade vizinha. Olivatto admitiu em entrevista que analisa a possibilidade de redução desse tributo municipal, mas ainda depende de análise de como fazer isso sem ser renúncia de receita e dependerá de lei municipal a ser aprovada e discutida na Câmara.

Outra questão que vem sendo debatida com Lençóis Paulista é de como será a partilha de eventuais impostos estaduais que vão incidir que poderão gerar divisas para os cofres municipais.

Nova unidade expande produção

O novo empreendimento que vai gerar empregos e investimentos de mais de R$ 6 bilhões em Lençóis Paulista se viabilizou depois da aquisição da Lwarcel pelo grupo asiático RGE (Royal Golden Eagle) que foi fechado no final do ano passado, após meses de intensas negociações.

Em junho de 2018, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou o negócio firmado com o grupo da família Tricenti, dona também da Lwart Lubrificantes. A aprovação no Cade foi pelo rito sumário, porque não havia imposição de obstáculos.

O RGE criou a Bracell Limited, que atua no Brasil há 15 anos, e uma das maiores produtoras de celulose especiais do mundo, com duas principais operações no Brasil: a Bahia Specialty Cellulose (BSC), em Camaçari, na Bahia e, agora, a Lwarcel em Lençóis Paulista.

De acordo com a assessoria de imprensa do empreendimento, o projeto de expansão deverá representar o maior investimento privado no Estado de São Paulo nos últimos 20 anos. “A nova fábrica em Lençóis Paulista terá uma linha flexível projetada principalmente para produzir celulose solúvel e operará nos mais altos níveis de sustentabilidade e responsabilidade ambiental”, informa.

Pelos dados fornecidos, o empreendimento é na realidade a expansão da capacidade de produção que a Lwarcel não tinha recursos para aumentar, sem um parceiro economicamente forte. O grupo lençoense detém grande área de matéria prima para produzir celulose.

A fábrica da Bracell vai aumentar a capacidade de produção atual de 250.000 para 1,5 milhão de toneladas por ano.

Pelas projeções, durante a fase de construção da unidade que deve se iniciar em setembro deste ano, de imediato será necessário contratar em torno de 3.500 empregos diretos e indiretos,  podendo chegar a 7.000 no pico do projeto, esclarece a assessoria de imprensa da Bracell.

A empresa confirma que todas as contratações serão realizadas por meio de uma Central de Serviços que está sendo instalada em Lençóis Paulista, extensiva aos municípios de Macatuba, Pederneiras, Borebi, Agudos, Areiópolis, São Manuel, Barra Bonita e Igaraçu do Tietê. Um número significativo de empregos adicionais nos setores de viveiro e área florestal também será criado em todo o Estado de São Paulo como uma parte importante de todas as operações. A conclusão total das obras está prevista para o segundo semestre de 2021.

“A expansão da Lwarcel Celulose é um projeto significativo que trará desenvolvimento não apenas para Lençóis Paulista, mas também para toda a região. Estamos trabalhando para garantir que o projeto seja realizado de forma sustentável e ofereça emprego, renda e geração de oportunidades para profissionais de todas as cidades da região,” declara Pedro Wilson Stefanini, diretor geral da Lwarcel Celulose, por meio de nota emitida pela assessoria de imprensa.

Fonte: Jornal da Cidade

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar