CIDADESDestaqueGeralJornal AtitudeLençóis PaulistaNotíciasPolitica

EXCLUSIVO: “Não fiz nenhuma promessa de campanha”

Em entrevista ao jornal Atitude e ao portal de notícias na web GuiaLP, a advogada e vereadora Mirna Adriana Justo (PSC) fala sobre assuntos polêmicos na política e de suas pretensões

Atitude: Dra. Mirna, a senhora foi eleita vereadora com 1424 votos, através do PSC (Partido Social Cristão), partido esse da base que elegeu o atual prefeito Anderson Prado de Lima, que se elegeu pelo REDE, e hoje é filiado ao PSB. A senhora se considera uma aliada do governo municipal?
Mirna: Sou aliada ao bem comum de nossa cidade. Não sirvo a interesse privados ou de grupos. Meu compromisso é com o bem do povo. Se for para o bem do povo, voto a favor, se não atende ao interesse comum do povo, voto contra.

Atitude: A senhora é considerada por boa parte da população, como uma vereadora ponderada, critica, e que gosta de analisar tecnicamente tudo que é votado na Câmara Municipal, o que é bom, seus questionamentos técnicos na Câmara, são baseados na sua experiência como advogada?
Mirna: Também, mas além de advogada sou também mãe, esposa, filha, cristã, dona de casa, já fui professora, operária, manicure, vendedora, etc., por isso meus questionamentos têm a ver com tudo o que aprendi ao longo da vida.

Atitude: O seu filho, já foi cargo de confiança da Câmara Municipal, salvo engano, na gestão do ex-vereador e presidente do legislativo lençoense, Ailton Rodrigues dos Santos, o Juruna, a experiência adquirida pelo seu filho na Câmara, ajuda em suas decisões?
Mirna: Nenhum de meus quatro filhos jamais exerceu cargo de confiança na Câmara municipal. Talvez sua pergunta tenha a ver com um período em que meu filho fez o periódico da Câmara. Mas isso se deu através de contrato comercial e de concorrência pública. Portanto, a experiência dele nada tem a ver com as minhas decisões.

Atitude: Em 2018, a senhora foi relatora de uma comissão da Câmara Municipal, encarregada de apurar e analisar as contas da Facilpa e supostas irregularidade, feira essa que era realizada pela ARLP (Associação Rural de Lençóis Paulista), e que passava por investigação do Ministério Público (MP), o que foi apurado pela comissão da câmara?
Mirna: Nos empenhamos na investigação, mas a Associação restringia a entrega de documentos, como não dispomos de meios coercitivos para realizar a busca forçada de documentos, encaminhamos o procedimento ao Ministério Público que possui esses meios e poderá fazer uma investigação mais eficiente.

Atitude: Voltando a falar sobre a Câmara, como defensora de que o poder Legislativo construa a sua própria sede administrativa, a senhora considera um desperdício o dinheiro que é gasto com o aluguel do prédio administrativo atualmente, o conhecido Palácio de Vidro? A senhora tem uma estimativa de quanto seria gasto para a construção de uma sede própria?
Mirna: A Câmara Legislativa é uma realidade perene, sempre existirá e necessitará de um local físico para se estabelecer. Ali se guarda a história de nossa cidade. Ali são elaboradas as leis que regem nossas relações locais. É um patrimônio de nossa cidade. Defendo a construção de um prédio próprio pelo mesmo motivo que qualquer pessoa deseja a casa própria. Um bom governo não pensa apenas nos seus quatro anos de gestão, mas pensa a longo prazo. Considerando que a construção pode ser realizada com as economias da própria Câmara, a longo prazo o investimento gera economia para o município Nesse sentido, pagar aluguel, seja qual for o valor, sem se preocupar em sair dele, é sim desperdício.

Atitude: A senhora já se envolveu em grandes polemicas e embates nas sessões legislativas, como por exemplo, em relação à forma de escolha e votação da mesa diretora, em um projeto contra o nepotismo cruzado, enfim, entre todos os embates, qual foi o embate mais desgastante e qual foi a sua maior conquista nesses assuntos ditos polêmicos?
Mirna: Embates são sempre desgastantes, não houve algum que se destacasse. Minha maior conquista é a credibilidade. Dizer a verdade e ser coerente, as vezes gera conflitos, no entanto, a medida que o tempo passa, as pessoas vão enxergando que o que falamos coincide com o nosso modo de agir, e isso gera confiança.

Atitude: Na ultima, sessão legislativa, realizada na segunda-feira, 11, a senhora votou a favor da criação de mais um cargo de confiança no poder Executivo, o de coordenador da futura Guarda Municipal. Qual a sua analise da criação de um cargo para um serviço que ainda não existe?
Mirna: Formalmente a guarda existe, foi criada por lei. Para que ela se materialize é preciso ações concretas através de pessoas de confiança e conhecimento específico. Os questionamentos dos vereadores Dudu e Paulinho de que o projeto não previa, como atribuição do cargo, atos para implantação da guarda me levaram a perceber a necessidade da inserção de um inciso no Projeto através de uma emenda, que a apresentei e que será lida na próxima sessão. Segurança pública é dever do Estado, e nós sabemos que estamos em déficit com esse quesito. Por isso a implantação da Guarda Municipal é urgente. Entendo que a criação do cargo é necessária para a implantação do serviço.

Atitude: Quando ainda era candidata, a senhora muito provavelmente deve ter feito algumas promessas de campanha, ou se comprometido a defender alguma causa. O que a senhora já cumpriu e o que ainda falta cumprir, que a senhora tenha prometido?
Mirna: Não fiz nenhuma promessa de campanha. Meu compromisso é com a verdade e com o bem comum. As pessoas que votaram em mim o fizeram porque confiam no meu caráter e não porque desejam benefícios particulares. O bem comum beneficia a todos. Isso eu tenho buscado em todas as minhas ações no legislativo.

Atitude: Por fim, qual a mensagem que a senhora deixa para seus eleitores e toda população lençoense?
Mirna: Não somente aos meus eleitores, mas a todos os lençoenses digo que jamais percam a esperança, que confiem nas instituições, que participem dos conselhos, das audiências públicas, das associações, etc.. Que não formem suas opiniões por notícias sem fundamento, mas que busquem conhecer a verdade na fonte. Que não repassem mensagens injuriosas, pois podem ser falsas e causam grande mal. Que todos somos responsáveis pela transformação política de nosso país.
Por: Marcos Xavier

Mostre mais

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar