Brasil

Donativos começam a ser lançados de paraquedas em áreas isoladas do RS



O ministro Rui Costa, da Casa Civil, anunciou nesta quinta (9) que a Força Aérea Brasileira começa à tarde a lançar donativos como alimentos, medicamentos e demais doações através de paraquedas em locais inacessíveis por terra no Rio Grande do Sul. O anúncio foi feito durante o lançamento de medidas econômicas de ajuda ao estado que totalizam em torno de R$ 50 bilhões.

A medida foi tomada por conta da dificuldade que
as equipes de socorro e resgate estão tendo para chegar a algumas localidades
afetadas pelas enchentes provocadas pelas chuvas da última semana. Isso porque
a infraestrutura viária gaúcha foi fortemente danificada, e há áreas isoladas
inacessíveis.

De acordo com dados oficiais da Polícia Rodoviária Federal (PRF), são pelo menos 131 pontos de bloqueio total ou parcial em todo o estado, sendo a maior parte deles entre Porto Alegre e a Serra Gaúcha (ao Norte) e ao município de Cacequi (ao Oeste). Há, ainda, pontos no litoral (Três Forquilhas) e na fronteira Oeste com a Argentina (Uruguaiana e Pirapó) (veja na íntegra).

“[Serão] aqueles contêineres descendo de paraquedas porque os lugares estão inacessíveis, e hoje começa outra operação [esta de entrega de donativos por via aérea] também complexa de fazer chegar mantimentos, água, remédio, para aquela localidade que não se está conseguindo chegar para levar material”, afirmou o ministro.

Ainda segundo Costa, há uma “complexidade com estradas interrompidas, pontes levadas, gigantesca”, expressando que a situação “é de guerra”. O ministro não informou, no entanto, quantas localidades estão em isolamento e nem a quantidade de donativos que serão enviados através desta nova estratégia de ajuda.

Rui Costa anunciou ainda que será lançado nesta
sexta (10) um portal com um relatório diário das ações que estão sendo feitas diariamente
por órgãos federais no atendimento à tragédia vivida pelo Rio Grande do Sul. A
página também vai apresentar uma listagem das doações mais importantes
demandadas dia a dia pelas equipes de ajuda.

Ele pediu, ainda, que as cidades e estados que
enviarem donativos para o Rio Grande do Sul façam a triagem das cargas antes de
despachar, para que cheguem no destino já devidamente separados para a
distribuição.

Segundo Rui Costa, apenas os órgãos federais já
encaminharam ao Rio Grande do Sul mais de duas mil toneladas de donativos. “De
longe, essa é a maior movimentação de doações já registrada na história da
Defesa Civil nacional. Nunca nenhum outro evento se registrou um volume tão
grande de doações”, disse agradecendo também às empresas privadas de logística
que estão prestando serviços sem custos.

Segundo o boletim mais recente da Defesa Civil
do Rio Grande do Sul, divulgado na manhã desta quinta (9), o estado já
contabiliza 107 mortes provocadas pelas enchentes, com um óbito em investigação.

O órgão aponta que ainda há 136 desaparecidos e 374 feridos. As chuvas da última semana afetaram 425 dos 497 municípios do estado, com 1,476 milhão de pessoas atingidas.

Há 232,1 mil pessoas fora de casa, sendo que 67,5 mil em abrigos e 164,5 mil desalojadas nas casas de familiares e amigos.



Source link

Artigos relacionados

Pimenta afirma que PT foi fundamental para a eleição de Leite no RS

Paulo Pimenta procurou minimizar divergências entre o governo federal e o do...

Mesmo sem pandemia, Lula tem déficit quase tão alto quanto da Covid-19

O déficit nominal do Brasil está quase tão alto quando o do...

Ida de Tarcísio para o PL pode influenciar sucessão na presidência da Câmara

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), teria dito ao...

Proposta quer restringir investimentos estrangeiros em ONGs no Brasil

Pelo menos seis projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional querem...