Brasil

PGR denuncia irmãos Brazão e pede prisão de assessor e policial



A Procuradoria-Geral da República (PGR) apresentou
denúncia contra os irmãos Chiquinho e Domingos Brazão por envolvimento na morte
da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, em 2018, e pediu a
prisão de um assessor e um policial militar na manhã desta quinta (9).

A denúncia contra o deputado e o conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) foi apresentada ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) e envolve, ainda, o delegado Rivaldo Barbosa, segundo apurações da CNN Brasil e do UOL. A PGR informou à Gazeta do Povo que foi apresentada uma denúncia, mas não pode se pronunciar e nem fornecer mais detalhes por conta do sigilo do caso.

Já as prisões envolvem Robson Calixto da
Fonseca, conhecido como “Peixe”, e Ronald Alves de Paula, conhecido
como “Major Ronald”, apontado como ex-chefe da milícia da Muzema, na
Zona Oeste do Rio. Ronald já cumpria pena em prisão federal.

De acordo com as primeiras informações apuradas pelo G1 e pelo jornal O Globo, a PGR incluiu os dois novos nomes na denúncia que já envolvia outros suspeitos, como os irmãos Domingos e Chiquinho Brazão, e o ex-chefe da polícia civil do Rio, Rivaldo Barbosa. Peixe foi denunciado por organização criminosa, enquanto que Ronald foi denunciado por participação no homicídio de Marielle.

Após uma investigação da Polícia Federal, que
durou um mês e meio, a PGR concluiu que os irmãos Brazão e Barbosa devem ser
processados e condenados pelo assassinato de Marielle e Anderson.

Segundo a denúncia da PGR, baseada na delação de
Ronnie Lessa, que confessou a execução, os irmãos Brazão foram identificados
como mandantes do homicídio. Lessa teria se encontrado com os irmãos, recebendo
a promessa de pagamento pelo assassinato da vereadora.

A denúncia considera provas decorrentes de dados
de movimentação de veículos, monitoramento de telefones e oitivas de
testemunhas. A PGR afirma que toda essa análise, somada ao histórico político
dos irmãos Brazão, embasa a acusação criminal contra eles e o delegado Rivaldo.

O contexto do assassinato de Marielle estaria relacionado aos interesses econômicos fundiários dos irmãos Brazão, relações com as milícias e os atritos com adversários políticos como a vereadora e o partido, o PSOL.

A reportagem foi atualizada após pronunciamento da PGR ao pedido de informações feito pela Gazeta do Povo.

Atualizado em 09/05/2024 às 13:11



Source link

Artigos relacionados

Pimenta afirma que PT foi fundamental para a eleição de Leite no RS

Paulo Pimenta procurou minimizar divergências entre o governo federal e o do...

Mesmo sem pandemia, Lula tem déficit quase tão alto quanto da Covid-19

O déficit nominal do Brasil está quase tão alto quando o do...

Ida de Tarcísio para o PL pode influenciar sucessão na presidência da Câmara

O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), teria dito ao...

Proposta quer restringir investimentos estrangeiros em ONGs no Brasil

Pelo menos seis projetos de lei que tramitam no Congresso Nacional querem...